Com a finalidade de aprimorar o transplante de córnea no Estado do Rio de Janeiro, o Programa Estadual de Transplantes, juntamente com o CBO, lançou o Manual do Paciente de Transplante de Córnea. Disponível em http://transplante.rj.gov.br

Pacientes que aguardam transplante de córnea no Rio de Janeiro contam agora com um manual sobre os processos de doação. No guia, é possível esclarecer dúvidas sobre o funcionamento do sistema de transplantes, as possibilidade de inscrição na fila, além de entender o que é o Registro Geral de Cadastro Técnico (TGCT) – responsável por identificar e fornecer informações importantes, como a situação na fila de espera, entre outras questões.

Segundo o Diretor do Banco de Olhos do Rio de Janeiro – INTO e Coordenador da Câmara Técnica Estadual de Transplante de Córnea do Estado do Rio, Dr. Gustavo Bonfadini, o manual fornece ferramentas para que o paciente seja mais proativo na busca de seus direitos e cumprimento de deveres.

“Buscamos fazer um manual com informações em linguagem didática e simples para que todo o paciente inscrito na fila de transplante saiba que pode acompanhar a localização na fila pelo site e ao se aproximar do início [da fila], ele poderá marcar os exames pré-operatórios e tomar as medidas necessárias antes do transplante”, explicou.

O médico enfatizou ainda que alguns pacientes acabam não podendo fazer o transplante em menor tempo por não terem se preparado para a cirurgia. “O hospital público, muitas vezes, não tem como informar aos pacientes o lugar de cada um na fila de forma adequada e célere. Então a Central de Transplantes tem que ligar, o que demanda tempo e atrasa a fila. Agora, com o manual, temos ferramentas para que haja uma corresponsabilidade entre o paciente e a instituição pública ou o médico cirurgião particular”, completou o coordenador.

A lista dos pacientes que esperam pelo transplante de córnea é única por Estado, com critério de espera cronológico. Alguns casos mais graves podem ter prioridade, como olho perfurado, úlcera de córnea e retransplante após falência primária do enxerto.

Qualquer um pode ser doador de córneas, basta informar em vida à sua família seu desejo de ser doador.

No Estado do Rio de Janeiro, foi criado o tridígito gratuito do Disque-Transplante, no número 155, é possível tirar dúvidas sobres doações e transplantes e notificar uma doação.

Doe córnea, doe vida!